X

ACESSE SUA CONTA

Esqueci minha senha Acessar

NÃO POSSUI CADASTRO

Fazendo seu cadastro, você:

- Receberá notícias, novidades ambientais e mobilizações;

- Saiberá com antecedência sobre eventos;

- Ou sua empresa podem se cadastrar e participar da nossa causa;

Criar cadastro Cadastrar empresa

Grupo de Monitores de Boituva

Bacia
Médio-Tietê
Cidade
Boituva/SP
Corpo d´Água Monitorado
Sorocaba
Tipo
Outros
Faixa Etária
Misto

  Voltar   Lista de grupos

Sobre o Grupo

Grupo Boituva – Codinome: Aizi Foi em uma das reuniões do Conselho Municipal de Desenvolvimento do Meio Ambiente de Boituva, mais precisamente no dia 15 de setembro de 2006. O Secretário de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente, Geraldo Celestino Corrêa, fez o convite aos membros do conselho para assistirem à palestra sobre monitoramento da qualidade das nossas águas, proferida pela SOS Mata Atlântica. O evento realizou-se em 26 de setembro de 2006, durante à tarde, no Centro Técnico de Boituva – CETEB. Participaram também outros municípios: Cerquilho, representado pela ONG ICATU; Tatuí, representado pela ONG ALERTA e Quadra, representado pela Prefeitura daquela cidade. Como representante de Boituva participou o Sr. Secretário Geraldo. Começou então a “nascer” o grupo de monitoramento de Boituva, que posteriormente foi acrescido de outros membros: Sr. Roberto da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente Sra. Patricia Bandetini, educadora da rede municipal de ensino. Nossa primeira experiência foi realizada em 17 de outubro de 2006, e contou com a participação de um funcionário da SABESP, que nos levou até o local, e com a prestimosa ajuda do presidente da ONG ICATU de Cerquilho, Sr. Wendel, carinhosamente apelidado de “Nenê”. Ele foi o responsável pelo nosso “batismo”, explicando passo a passo cada uma das etapas de análise da água, que não se resumiu exclusivamente aos testes indicados no formulário e nas fichas do kit. Ele nos ensinou a realizar a leitura do local, onde foram observados os seguintes aspectos: uma das margens (direita à jusante) está, naquele trecho, desprovida completamente de mata ciliar, expondo os sinais de erosão e assoreamento e o quanto o leito do rio já afundou (perdeu em volume d’água). Esse desmatamento estende-se por muitos e muitos metros. Também é possível ver movimentação de peixes com uma certa facilidade. Não podemos deixar de registrar que, no local onde foi recolhido o material para análise, desemboca o transbordo do sistema de captação da SABESP, o que melhora a oxigenação da água. Mesmo neste local não se via a presença de espuma, ocorrência que poderia ser comum devido à quantidade de fosfato encontrado.Talvez o motivo poderia ser a presença de insumos agrícolas, trazidos pelo processo de assoreamento. Apesar de termos realizado somente a primeira de muitas outras leituras, já conseguimos imaginar estratégias para correção dos problemas citados, através de operações consorciadas com o município de Iperó. Nossa próxima leitura será em 1 de novembro de 2006, no mesmo local e ainda contaremos com a ajuda do Nenê. Estamos selecionando e organizando o grupo de estudantes que farão parte conosco, através da Sra. Patricia. É intenção de nosso Município adquirir outros kits e capacitar mais monitores para realizar leituras em outros locais como, por exemplo, no Ribeirão Pau d’Alho. Finalizando, queremos dizer que sentimo-nos muito honrados em participar do Projeto Observando os Rios, que possibilita concretizarmos nossos anseios em contribuir pela preservação do Meio Ambiente.

Período de Análises:

Não há análises cadastradas por este grupo neste período.